© 2019 por King Wart Design.

Todos os direitos reservados.

#PapoIndependente: Momentos Que Eu Jamais Vou Esquecer [Retrospectiva pt.2]

December 13, 2017

                                                                                                                                                                         Foto por Kiko Vidal  

 

Fala galeraaa bonita que acompanha a MADM, a revista digital que te mantém sempre informado sobre a cena independente. Devido a repercussão da retrospectiva 2017 que fiz na semana passada, resolvi fazer uma segunda parte e se reclamar eu faço a terceira heim! É tanta gente legal fazendo música com o coração, tanta banda correndo pra mostrar a sua verdade, que a gente se emociona, não é mesmo meus leitores queridos? Então chega de blablabla, eu sei que você está querendo ver o peru na mesa, a linguiça na brasa e a espuma no copo, hehehe. Já é natal, vamos bebemorar! E caso você tenha babado no panetone, confira a primeira parte da matéria CLICANDO AQUI.

 

Vamos às retrospectivas parte 2:

 

Banda Drenna, em turnê do album Desconectar

 

Bom, vou começar falando de uma banda que foi uma das primeiras que me apaixonei quando entrei para o movimento: banda Drenna.

Essa banda é uma das bandas do tipo "a cena inteira ama", e então decidi perguntar ao grupo sobre o ano de 2017 para que os fãs pudessem saber. Eis o que o Milton (baterista) me respondeu via e-mail:

 

- Esse ano foi bastante intenso. Só pra citar alguns eventos marcantes, em maio fomos convidados a reinaugurar o Imperator (Rio Novo rock). Fomos a primeira banda a fazer esse evento em meados de 2014.

Também em maio, fomos selecionados a participar do estúdio Levis que nos rendeu um single "Maquiagem" na coletânea da própria Levis, disponível no deezer. 

Em junho, fomos convidados a fazer o Downtown Sound Club. Um evento que reuniu novos nomes da cena rock do Rio de Janeiro.

Em setembro, fizemos a abertura do show da banda Supercombo no Clube dos Democráticos. Ainda em setembro a Drenna Rodrigues (Nossa vocalista) fez uma participação especial no show da banda Memora no Rock In Rio.

Em novembro, em comemoração ao um ano do álbum Desconectar, além de tocarmos no Rio Artmix festival no Vivo Rio abrindo show de bandas como CPM22 e Black Alien, ainda engatamos na nossa primeira turnê pelo nordeste e fizemos dois grandes festivais: o Festival do Sol (Natal - Rio Grande do Norte) e o Ponto CE (Fortaleza - Ceará).

E pra finalizar bonito, agora em dezembro, acabamos de fazer um show memorável nesse sábado passado (09/12), retornando ao palco do Imperator, para abrir o show de lançamento do novo álbum da banda Detonautas.

 

Que puta banda de respeito! Eu estou sem ar! Valeu Drenna Rodrigues, valeu Junior Macedo, valeu Milton Carlos e valeeeeu Bruno Moraes pelo belíssimo trabalho que vocês apresentam.

 

                                                                                                Drenna e Detonautas após show memorável no Imperator 

 

 

Radioativa, banda enérgica até no nome

 

Sabe aquela banda que você se apaixona logo de cara? Então, é essa minha relação com a Radioativa, mas sou meio suspeito pra falar porque sabe como é né, a galera pode ficar com ciúmes, então nem vou falar muito. Mandei aquela perguntinha básica sobre 2017 pra vocalista Ana e olha o que ela me disse:

 

- Tivemos bons momentos esse ano.  Em ordem: entrada do Cris na banda; abertura do Show do Evanescence em SP (escolhidos pela própria Amy Lee); finalistas no FMU 2017 concorrendo a uma vaga no Rock In Rio, onde ganhamos elogios do Liminha (ex-Mutantes) e da Marisa Menezes, do RIR; depois teve o lançamento do clipe de Inverno e o lançamento de Ato Três; e nosso show na ExpoMusic.

 

Bom, como eu quero muito que você também se apaixone pela banda (se não já estiver delirando de amores), recomendo que confira agora o clipe de “Inverno”, faixa que compõe o “Ato Três”. Dá o play aí caro leitor!

 

 

A Radioativa (que inclusive participou do nosso primeiro MADM Fest) já ganhou uma matéria exclusiva aqui na coluna. Que tal conferir? Basta CLICAR AQUI!

 

 

Astro Venga, power trio instrumental de rua

 

Recentemente venho ouvindo falar-se muito do Astro Venga do selo da Abraxas, daí fiquei pensando "Quem são esses caras, quem são esses caras?" Claro que eu corri pra pesquisar, fuxicar e meu, é lindo a proposta de tocar na rua com todo o barulho urbano. Cheguei na banda e "pam", mandei a pergunta "Como foi o ano de 2017 pra vocês?" E eis a resposta:

 

- Obrigado por lembrar-se da gente!

Acho que nossos principais momentos foram a gravação do nosso 1° album de estúdio e seu lançamento pela Abraxas, com um belo show no Rio Novo Rock, evento que admiramos muito e que queríamos participar há um bom tempo, no Imperator - RJ.

Além disso, impossível não pensar na nossa participação num dos palcos alternativos do Rock In Rio, foi um grande prazer representar a musica independente brasileira e as bandas de rua num evento desse porte

E além disso, vale mencionar que ficamos muito felizes de poder levar nosso som pra rua, pra pessoas de todas idades e classes sociais.

 

Então galera, se assim como eu, você não conhecia muito bem o trabalho do power trio, e agora ficou curioso pra saber e conferir o primeiro album de estudio dos caras, que inclusive vou ressaltar aqui que tá uma delícia de verdade mesmo, pesquisa sobre eles e já dá o play logo abaixo.

 

 

 

Espaço 989 Artes, um estúdio que presencia a formação da nova cena carioca

 

É difícil para eu falar do Espaço 989 sem chorar. É a minha segunda casa, então digamos até que seja meio suspeito da minha parte está comentando sobre o estúdio, mas eu preciso falar sobre o “Espaço” (como é carinhosamente chamado) devido a tudo que ele representa na vida de muita gente. Bandas como Melyra, Fireheat, Cândido, Old Kitchen, Explorers, Quintessente, Banda Gente, Huguenots, DAOS e muitas outras tiveram bons momentos este ano no estúdio, e que com certeza nunca irão se esquecer. E por isso que eu digo que o “Espaço” é um estúdio que presenciou boa parte da formação da nova cena carioca neste ano de 2017.

O estúdio existe desde julho de 2016 e nesse ano ganhou uma matéria exclusiva aqui na coluna, confira CLICANDO AQUI. Foi responsável pelo CD “Todos Somos Silvas” da Banda Gente, e muitas outras gravações como por exemplo a primeira single da banda Explorers. Vou deixar aqui um vídeo do canal do “Espaço”. #venhaparaoespaço

 

 

 

Giovanna e Tharyk, produtores do Rock No Parque que servem como exemplos da cena carioca

 

Um dos eventos undergrounds da cena carioca que todo mundo ama é o famoso “Rock No Parque” que acontece na Arena Carioca Dicró e se localiza na Penha, e claro não poderia deixar de citar aqui na retrospectiva da Muito Além do Microfone. Evento este que é produzido pela Giovanna Pinheiral e Tharyk Copaja que eu considero grandes exemplos da cena. Veja o que a Gigi me disse quando perguntei sobre o que acharam deste ano de 2017 referente ao RNP:

 

- Pra gente 2017 foi um ano de firmamento como realmente uma resistência, um ano de conhecimento maior do nosso motivo pra estar fazendo o que fazemos, um redescobrimento do nosso modelo e do que é mais importante pra gente no evento. 

Foi um ano pra vermos também quem está nessa conosco e qual é o nosso peso na vida de alguns daqueles músicos. E principalmente 2017 foi quando vimos que o Rock no Parque é feito por nós por puro amor realmente.

 

Se você não conhece ou nunca foi em um evento do Rock No Parque, fica aí a dica da vez galera. O endereço é Rua Flora Lobo nº 0 – Parque Ary Barroso (Penha).

 

 

Filtro Vermelho, hardcore na veia e no coração

 

Galera, agora eu vou citar a banda Filtro Vermelho, que particularmente gosto muito devido a toda energia que esses caras possuem e repassam pro público. Presenciei o show dos caras no Festival MImosa Rock 2017 e desde lá venho acompanhando a correria dessa turma. Meu irmão, os caras representam muito bem o movimento e por isso eu sempre que posso comento sobre os caras. Perguntei sobre o ano de 2017 pro Emilio que é baixista da banda e também pro Vagner que é vocalista e olha só o que obtive de respostas:

 

Emílio: Aconteceu nesse ano a entrada do novo baterista, Cesar Pezzi (ex Petardos), iniciamos a produção do CD Rota de Colisão e fizemos shows excelentes.

 

Vagner: Esse ano foi um ano de muitas oportunidades. 2017 foi um ano de muito crescimento pro Filtro Vermelho. A gente tocou em muitos eventos importantes pro nosso crescimento e estamos amadurecendo muito como banda e como músicos, e isso tudo junto com a cena. Mano, a cena é o que deixa o rock viver hoje em dia.

 

É isso galera! A cena é o que deixa o rock viver hoje em dia. Vamos ficar ligados que a cena está viva pra caraca rapaziada!

                                                                              Filtro Vermelho, banda de hardcore da cena carioca 

 

 

Canto Cego, banda de rock com muita poesia e um som característico

 

A Canto Cego é mais uma da série “todo mundo ama” não é verdade? Eu acho uma banda com um som bem característico, único e isso é bem legal.

Referente a retrospectiva deste ano, eu perguntei diretamente ao guitarrista Rodrigo Solidade e ele me disse o seguinte:

 

- Nosso 2017 foi um ano de descobertas. Além de fazer tudo o que já fazíamos desde os anos anteriores, focamos em tentar sair um pouco mais do Rio de Janeiro e desbravar novas cidades, públicos e desafios. 

Começamos com a emblemática Casa do Mancha, em São Paulo e depois emendamos numa sequência que envolveu cidades como Belo Horizonte, Guarulhos, Campinas, entre outras. 

Em novembro, rolou a Tour Nordeste, que talvez tenha sido o momento mais importante no ano da Canto Cego. Foram 10 dias, 6 shows e 5 estados. O roteiro envolveu Salvador – BA; Recife – PE; João Pessoa – PB; Mossoró - RN e Fortaleza - CE. Para uma banda que praticamente não saía do Rio, foi um feito e tanto. Voltamos realizados e certos de que o caminho é esse mesmo. 

Além das viagens, fizemos coisas maravilhosas no Rio também. Vale destacar o Roquealize-se em janeiro, que era sempre um evento importante de ser feito. O show em homenagem ao Dia Internacional da Mulher, no Teatro Ipanema, em Março, que contou com várias participações de artistas mulheres. O show no Rock in Real, no Teatro Ziembinski, com participação da Mc Martina, casa cheia e toda aquela atmosfera que o evento tem.

Sem esquecer do clipe de Zé do Caroço, que lançamos em novembro. O trabalho contou com a colaboração e aparição de várias pessoas que admiramos e acompanhamos a caminhada, com destaque para a própria Leci Brandão, autora da música. Certamente, lançar esse videoclipe foi um acontecimento super importante no nosso ano.

 

Muito mas muito foda não é mesmo galera? Ah, eu estou sem ar! Sem ar! Saca só esse clipe!

 

 

A Canto Cego estará presente na minha última edição deste ano do #seguinsindica no Spotify (spoiler hahaha). Obs.: #seguinsindica é uma série de playlists que eu faço no Spotify periodicamente. Já aconteceram 6 edições e caso você queira conferir a última edição e conferir o formato, basta CLICAR AQUI.

 

 

Banda Purano aposta no rockão, fecha o ano com 60 shows realizados e repercute no exterior

 

A banda carioca de rock Purano, teve um ano agitado, dividindo seu tempo entre seus tributos grunge e a divulgação de dois EPs autorais. O último, “Rationally Insane”, foi produzido pela lenda Lisciel Franco e teve o seu primeiro single de trabalho, “Rational Calling”, sendo requisitado por uma grande quantidade de ouvintes de streamings internacionais, como o Jango Radio. Graças a esse trabalho, a Purano já conseguiu fãs fiéis na Inglaterra, Alemanha, Espanha, Canadá, Irlanda, México e Uruguai, que se correspondem regularmente com a banda, e também ouvintes assíduos em diversos outros países. Além disso, suas músicas marcaram presença em programas de rádio especializados em rock por todo o Brasil e em alguns programas no exterior, como o “Toma Rock”, da Rádio Transamérica do Rio de Janeiro, e o “For Those About to Rock”, do grupo de rádio inglês Simply Sindicated.

Em contato com o Bruno Corrêa, vocalista da banda, ele me disse o seguinte:

 

- Em 2017 a Purano percebeu que havia se transformado numa banda de verdade, capaz de compor boas canções, tendo seu trabalho reconhecido em diversos nichos, tornando-se financeiramente autossuficiente (pois não pagamos mais pra tocar…) e tendo estabelecido parcerias e amizades sólidas na cena. A Purano optou por fazer rockão pra amantes de som pesado, entendendo e encampando a condição de banda de nicho, sem neuras de mainstream nem adesão a panelas fechadas. Sabemos que nunca estaremos no Faustão, o que nos parece muito bom na verdade. Fazemos o que gostamos e acreditamos, valorizamos quem nos valoriza e levamos numa boa tudo de bom e ruim que possa vir disso. Estamos fechando o ano com 60 shows realizados, a maioria por convite. Então, está bom assim.

Falando em fechar o ano, a Purano é a banda oficial da festa de Reveillón do Bar Bukowski de 2017! É pra fechar com chave de ouro mesmo!

Em 2018 a Purano lançará um vinil compacto produzido novamente por Lisciel Franco, com músicas inéditas e, contendo “duas possíveis obras-primas da banda.” Além disso, Rational Calling vai entrar na primeira coletânea do estúdio ForestLab, do próprio Lisciel Franco, que será lançada exclusivamente em vinil no primeiro semestre!

 

Aguardemos... Mas enquanto isso ficamos com Rationally Insane.

 

 A Purano é uma daquelas bandas da série "já teve matéria exclusiva aqui na coluna". CONFIRA CLICANDO AQUI.

 

 

Paula Puga, apresentadora do Toca A Cena, comenta o ano de 2017 e já anseia por novas conquistas

 

Sabe aquela pessoa que se você tem banda você vai um dia conhecer? Então, essa é nossa queridíssima e exemplar Paula Puga. A mina é um arrazo, um arrazooooo. Ela é tipo eu assim um faz tudo da cena, sacas (bah, eu não precisava citar a mim mesmo, né?). A mulher é produtora executiva, é produtora de eventos, é representante da Mutante Rádio no Rio de Janeiro, é apresentadora do Toca a Cena, é isso, é aquilo, enfim, um caos de funções acumuladas em um único ser humano altamente legal e que corre pra caramba. Eu perguntei pra esse ser humano altamente legal e que corre pra caramba a clássica pergunta que todo titio faz para o sobrinho: E aí, como foi o ano de 2017 para você, júnior? Hahahahah, vejamos o que ela me disse.

 

- 2017 foi um ano de encerramento de ciclo e início de um novo. Não apenas para o Toca a Cena como para a cena num todo. Alguns eventos importantes para o movimento underground pararam, outros diminuiram a frequência. Em contra partida, novos eventos surgem e alguns crescem (Rock in Real tá ai e não me deixa mentir). Com o Toca a Cena foi um ano de expansão. Deixamos de ser apenas um programa de web rádio e nos tornamos um pólo de comunicação voltado para o circuito. 2018 será um ano de reorganizar e dar continuidade ao novo ciclo da música independente

 

Essa é das minhas!

 

 

Medulla e Menores Atos fizeram um ano daqueles de marcar a vida dos fãs

 

Medulla, que é uma banda agenciada pela Elemess, lançou este ano o álbum “Deus e o Átomo” e seguidamente a ele, lançou clipe de “Abraço”, “Deus” e “O Segredo”, além do lyric vídeo de “Abraço” em uma versão com um beat diferenciado. Abraço é aquela música que vale a reflexão.  Vale ressaltar que a banda participou da Session da Tarde, projeto da banda Supercombo e esteve presente por muitas cidades importantes do nosso Brasilzão. Que banda! Quando se fala em Medulla é impossível não lembrar de sua canção  “O Novo” que marcou toda a cena e se revelou para todo Brasil.E é por isso que essa banda se tornou uma das bandas que eu mais admiro em todo o universo. A inteligência presente nesse grupo é sensacional, a forma como eles marcaram e marcam a geração é incrível e é uma das maiores revelações em minha opinião (opinião de fã vale sim! Hahaha).

 

Menores Atos, que é afiliada a Flecha Discos, Spidermerch e CHC Records, lançou este ano: 3 músicas pelo Flecha Discos; o clipe de “Pressa” e de “Mar Aberto”; esteve no Showlivre para uma apresentação na íntegra; e promete um álbum novo no início de 2018. Baita banda! Menores Atos é aquela banda que o cenário independente revelou pro mundo e você não pode deixar de escutar pelo menos uma vez no seu dia.  

 

 

Simulacro, banda carioca com um som bem característico, teve um ano daqueles

 

Com clipe em abril lançado pela Tenho Mais Discos Que Amigos, ir tocar no distrito federal em junho junto de outros grandes nomes do cenário independente e participar do FMU em julho, acredito que este tenha sido “o ano da Simulacro”.

A banda no inicio do ano foi pra São Paulo para fazer a produção do clipe de “Pousar” com o Toledo da Supercombo e logo após voltaram para o Rio para fazer as filmagens com a Caró Vilares. O clipe foi lançado em abril pela TMDQA.

Em junho foram chamados pela banda Etno para fazer uma participação no show deles em Gama e tocar no Sub-dulcina, que segundo a própria banda me disse em off, foi irado! Inclusive, foi lá que conheceram a Marianna Pantuzzo do canal de youtube “O Nosso Som” e então ganharam um Fã Clube da mesma.Vale lembrar que a Mari é oficialmente membro-parceiro daqui da MADM.

Mais para o final do ano foram finalistas do Festival de Musica Universitária do Rio de Janeiro (FMU)

 

 A Simulacro já teve uma matéria exclusiva para eles, então já sabe né? CLICA AQUI para conferir!

 

 

Oficina do Demo, um dos maiores veículos de divulgação da cena independente teve lançamentos e mudanças

 

A Oficina do Demo é um canal de divulgação que eu respeito muito. Eu não vou nem explicar o porque eu respeito tanto a Oficina do Demo, veja você mesmo caro leitor. Eu perguntei sobre 2017 pro Eduardo que é um dos apresentadores do Oficina  e ele separou por tópicos os maiores destaques deste ano:

 

- Cara, neste ano tivemos a interrupção do projeto via YouTube que foi substituído pelo programa de rádio;

Houve a entrada do Guilherme Benaion no frontline da Oficina após a saída do Adrian Monteiro;

A música "Metal Truths" substituiu "Operation Condor" na abertura da Oficina;

Alcançamos, na Live Rock, a marca de 384 bandas nacionais independentes tocadas em nossa programação;

Lançamos canções inéditas de bandas como Vox Mortem, Godslayer, Golpe Certo, Back in Drive, entre outras;

A pedido do público, liberamos o podcast do demo com todos os nossos episódios na íntegra.

 

A Oficina do Demo é uma parceria entre Cerutti Diass Fotografia e Espaço 989 Artes. Vale a pena acompanhar!

Link do site: http://www.oficinadodemo.com.br/

 

Porque... Cabeça vazia é oficina do demo!

 

Stereophant, banda carioca da série “todo mundo ama”

 

Mais uma daquelas bandas que eu costumo dizer que todo mundo ama. Neste ano a Stereophant teve o lançamento do clipe de “Homem ao Mar”, do álbum “Mar de Espelho”, o show de lançamento do album no Imperator e recentemente o clipe de “Tem Algo Estranho No Ar”.  

 

 

Fireheat, banda nova que já faz um belíssimo trabalho

 

Perguntei sobre o ano de 2017 e seus destaques para a vocalista Bu Bolzan da banda Fireheat que é composta também por Glauco Primo (guitarrista), Ana De Ferreira (baterista) e Edu Gomes (baixista). Ela me disse em tópicos igual o Edu da Oficina do Demo fez. Vejamos:

 

- Esse foi o primeiro ano da Fireheat, então tudo foi sensacional.

Tivemos o lançamento dos singles “Losers Squad” e “Inside the Box”;

Lançamento do clipe de "Loser's Squad";

Formação completa com Ana de Ferreira e Edu Gomes;

Gravação do EP que será lançado em janeiro.

O ano foi maravilhoso para nós. Tocamos em algumas rádios, dentre elas está a Roquette Pinto e a Território do Rock do Espiríto Santo.

 

É isso galera! Fireheat, banda que promete vir com tudo em 2018. Curta a página no facebook e saiba mais sobre esta incrível banda. CLIQUE AQUI!

 

                                                                                                                         Bu Bolzan, vocalista da Fireheat em clipe de Loser's Squad

 

Então é isso galera! Não dá para falar de todo mundo, mas consegui falar um pouco de algumas bandas, produtores e programas que acompanho. A cena é linda! Feliz natal e um próspero ano novo (sim, clássica frase do titio para o sobrinho). Até a próxima!

 

 

Please reload

Please reload